ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Apenas mais uma de amor (para minha avó Nice)

A vida visita, revisita. A vida vive revive até que ela feche ciclos e um dia se entregue inteira ao chão para que o Pai a acolha em suas mãos em seu Sagrado Coração.

Como é bom para mim trabalhar as terras e as gentes do Sagrado Coração e nesse trabalho de suor e carinho de fé e esperança eu deixo também que o Pai construa em mim algo daquilo que Ele quer, e que é só dEle.

Às vezes a vida nos dá presentes sutis no meio a mares revoltos. Um olhar profundo que diz tanto quanto possível. Toda a extensão de silêncios necessários para equilíbrios mais frutíferos no futuro e o presente do presente.

O passado constrói algumas pontes pro futuro, basta acreditar no inseguro da segurança de uma palavra bendita: meu próprio nome.

Como é confortante ouvir nosso próprio nome dito por nossos companheiros de jornada, parece que aprendemos mais sobre quem somos, resgatamos nossa própria  identidade e entendemos que mesmo que o tempo nos transgrida com quilinhos a mais, somos permeáveis ainda àquela voz e podemos aprender mais um pouco sobre ternura, amizade, carinho, cuidado, segurança, amabilidade.

Como um sorriso muda tudo, uma face tão agreste e distante se faz amiga e querida: dá vontade de ficar e botar o papo em dia, prolongar o motivo da tristeza transformada num grito de alegria.

Mas entender um pouco do fim é crer também em Deus, que Deus pode abreviar, curar, salvar, tirar um bem de um mal, confortar, fazer adormecer a nossa cotovia como um belo passarinho, sem o trescalar da dor desfigurante. Eu creio que o meu Senhor é um Deus de amor e não nos arrastará sobre a penúria, mas acalmará o mar com seu gesto companheiro irmão soberano. Nunca irá nos abandonar.

Eu tenho vontade de chorar agora. Mas precisamos sorrir, a vida é mais bela se sorrirmos, ele ficou belo sorrindo... Tão belo...

Às vezes é preciso perder para saber ganhar, ás vezes o tempo é nosso amigo, às vezes um amigo é mais valioso que um irmão.

Que alegria ter amigos e pelas mãos amigas receber no meu coração esse sorriso, que eu não esqueci.
Nívea Moraes Marques

Nenhum comentário: