ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

quinta-feira, 7 de agosto de 2014

LANÇAMENTO DOS LIVROS DE NÍVEA MORAES MARQUES





C   O   N   V   I   T   E    

Você e sua família são nossos convidados para o lançamento dos livros: “Estrela das águas” (poesia infantil – R$ 30,00) e “Como se fosse flor” (poesia – R$ 20,00) de Nívea Moraes Marques, no dia 06 de setembro de 2014 (sábado) a partir das 16:00h nos jardins da Fazenda da Posse (Rua Argemiro de Paula Coutinho, Centro, Barra Mansa/RJ – entrada pelo SESI Barra Mansa, ao lado do Fórum de Barra Mansa). Teremos recital de poesias, animação cultural para os pequenos, exposição de Francis Marques com os desenhos que ilustraram os livros e coquetel.

segunda-feira, 24 de março de 2014

BRASILEIROS, BRASÍLIA, BRASIL



Brasileiros, Brasília, Brasil.
Nívea Moraes Marques


“Tudo se transforma em alvorada, nesta cidade que se abre pro amanhã.”
Juscelino Kubtschek

O céu de Brasília é o mar de Brasília, dizem os moradores de lá e é verdade! Às vezes a lua e o sol se postam um de frente pro outro na alvorada e o céu do meu país é o brigadeiro mais doce que provei, estando em Brasília.

Cada brasileiro deveria conhecer a nossa capital e se apaixonar um tanto mais pelo nosso imenso e lindo país. Tão imensamente representado na arquitetura do nosso honrado e feliz arquiteto Oscar.

Deus nunca poderia se esquecer de nós diante de tanta beleza, diante das rosas (nunca secas) da Mãe Rainha em sua tendinha capelã, no tapete profundo azul na casa de Dom Bosco e no manto em vitrais de Nossa Senhora Aparecida na Catedral de Brasília. Mas há o céu morada dos anjos e dos meus vagos olhos, meus vesgos olhos, deitados nas nuvens, melhor, nas ondas de paz e chuvinha abençoada nos dias e nas horas em que me deixei estar em Brasília.

Povo bom, este o povo brasileiro. Mil vivas para nós, para o aconchego, para o tapinha nas costas, para a presteza dos servidores e serviçais e pela delicadeza das autoridades visitadas, todos me diziam: “Somos brasileiros!” e eu acreditava!

Cumpri com o meu dever profissional, estive tensa, estive pronta, estive prestes a dizer e disse, carreguei também em meus ombros a responsabilidade do meu terço de Brasil, honrei e fui honrada, plantei e espero a colheita (embora ela mesma tenha se iniciado lá, com as flores e os verdes dos imensos parques e jardins do meu país).

Agradeço ao meu Senhor porque me fez nascer aqui, nesse grão, nesse pomar, nesse cheiro de mato verde, nessa gema amarela que é o sol, o solo e o sol do meu peito feito coração. Brasileira!

Volto à casa com a certeza de que fui batizada duas vezes para todas as duas nascer e renascer no meu Brasil, pois Deus assim nos fez aqui.

sábado, 15 de fevereiro de 2014

DE VOLTA AO BRASIL COM IMENSA ALEGRIA POR TER PISADO EM TERRITÓRIO SANTO



Quando eu estava em Cafarnaum, na Igreja construída ao lado da Sinagoga onde Jesus ensinava e em cima da casa da sogra de Pedro, eu ouvi o silêncio de Cafarnaum e era um silêncio tão gostoso, muito descanso, uma paz do céu (uma experiência de eternidade), pois Jesus estava ali, junto conosco, junto com Pe. Edimilson, pregando para nós.
Poder ouvir os Teus ensinamentos e não ser como o povo de Cafarnaum, que mesmo com tudo feito pelo Senhor ali, eles não creram e a cidade algum tempo depois foi destruída por um terremoto.
Jesus, em Cafarnaum encontrei-me contigo para reafirmar minha fé.
Logo depois no monte das Bem-aventuranças, deitei minha cabeça em Seu colo para ouvir sobre pureza, pobreza (daquele que tudo precisa de Ti) e misericórdia. Senhor, colei meus ombros nos Teus para sentir que é vivo, é o meu Deus e eu Te amo, como afirmei por três vezes em nosso encontro com as mãos banhadas nas águas do mar da Galileia, vestida das roupas de Pedro.
08-02-2014 – Nívea\Terra Santa
****
Getsemani é prensa para prensar azeitona

A primeira prensa da azeitona é o azeite mais virgem. É dele que se retira o primeiro azeite para dar ao Templo (dízimo)
A segunda prensa é o azeite de mesa, para alimento
A terceira prensa é o azeite como combustível para iluminar                        
A quarta prensa é o azeite que serve de remédio
Depois disso o bagaço que sobra serve como ração
Depois disso o caroço da azeitona serve para queimar e aquecer
E depois disso nada sobra, nada é desperdiçado
Jesus é como a azeitona no Getsemani.
*******
A tradução para “Belém”:  a casa do pão.
Gafanhoto, alimento de São João Batista, é planta e não bicho e tem gosto de chocolate.
A agulha por onde não passaria um camelo são fendas abertas nas muralhas de Jerusalém, por onde se punham as armas de guerra para proteger a cidade santa.

sábado, 1 de fevereiro de 2014

DE MALAS PRONTAS RUMO À TERRA SANTA



Hoje tenho em minha boca
Uma canção de despedida:
Não posso ser a mesma
Pisarei os passos do Senhor
Como se fosse uma mulher
Feito Maria, a irmã de Lázaro
Ou a Madalena, ou a Santa Mãe
Eu serei a mulher do poço e seus muitos maridos
Ou serei a hemorroísa, com doze anos de sofrimento e fé
                   
Para pisar os caminhos do Senhor eu preparei mala, fotografias
E mãos postas
Meu coração vigia, olho o chão que piso (solo sagrado)
Olho pro céu adivinhando as cores que ele terá
Piso sagrado para os Teus pés
(Que sempre me encontram)
Abençoa-me no Sagrado de Tua Terra Santa
Faz-me um vaso novo capaz de carregar por tantos mares
As águas puras.

...Nívea...

terça-feira, 21 de janeiro de 2014

O CORAÇÃO DOCE DE MARIA



O coração de Maria
 Nívea Moraes Marques


O coração doce de Maria
é salgado por todas as lágrimas de mãe

O coração doce de Maria
se derrete feito algodão-doce no céu da boca das crianças
quando nos acenamos com sorrisos

O coração doce de Maria
semeia no meu coração
plantações imensas de maria-mole

O coração doce de Maria
finge que me dá disciplina
O coração doce de Maria
costura, isso sim, palavra e suor,
trabalho e recomeços
como se fosse assim um bordado
do que é a verdade e a vida
de Deus-filho.