ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

O NATAL NÃO PODE SER O MESMO



O Natal não pode ser o mesmo
Nívea Moraes Marques

O natal não pode ser o mesmo todo ano.
Todo ano a liturgia prepara o nascimento a morte e a ressurreição de Jesus, e se pensarmos tudo isso como um rito das horas passando, estaremos vivendo e cumprindo apenas um rito.
Mas Jesus está para nascer e essa verdade bela é casada com outra palavra cheia, que é a esperança. Os que creem esperam e não esperam esperando, esperam com esperança.
Esperança é uma palavra feminina que é mãe da palavra sonho.
Primeiro a gente tem de sonhar e então os passos seguintes caminham para a realização.
Esperar, esperança, sonhar, realização.
O que de bom se tornando concreto e a palavra do nosso Deus ficando justa a nossa pele e vamos nos humanizando mais um pouco, mais um pouco até enxergarmos com os olhos do céu.
Ver em cada morada do espírito santo, que somos nós, um pouco do que Deus quer realizar ainda aqui e porque não dizer, aqui e aqui, o Reino de Deus se cumprindo entre nós onde quer que estejamos. O cântico de eternidade nos espera para além do que possamos até compreender.
Este chão pede o que é belo, o que é puro, o que é sangue e o que é amor (dentro de tudo o que podemos sentir seja o amor e venha desse mesmo Deus – um dia apenas prestaremos conta do amor que nós temos e tivemos).
Amor para ferir o que é mal, o que é dolo, o que é sujo e feio, para ferir tudo o que é morte e agredir com carinho e paz isso que nos faz distantes da espera do menino que nasceu homem e morreu Deus e ressuscitou nos reconciliando homens imagem e semelhança de Deus.
Eu espero que a esperança em mim gere para Deus filhos do amor.

Nenhum comentário: