ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

"NEQUEAVE"



Não se esqueça de que amo você
Nívea Moraes Marques

Ouvi uma história de delicadeza que um casal reduzia o “não se esqueça de que amo você” a “nequeave”, que ao viajar sozinho um deixava debaixo do travesseiro do outro um bilhetinho “nequeave”, ou quando o marido abria sua gaveta de meias encontrava um papelzinho “nequeave”, ou no dia do aniversário dela no meio das flores presenteadas lá estava “nequeave”.
Para mim o amor é mesmo o país das delicadezas.
Não quero nunca me arrepender de não ter demonstrado meu carinho, minha afeição o meu amor aos meus companheiros de jornada terrestre, ao meu Pai que está no céu, a todos os meus irmãos que são da companhia das estrelas e moram no céu.
Cada bocado de sentimento por cada pessoa querida me ensina a amar aquelas que são mais ásperas, que se colocam em correntezas fortes e contrárias.
Não se esqueça de que amo você eu digo isso para cada um e para todos e minha voz vai mudando de tom, vai aguando e desaguando, ganhando colorido para ser única em cada uma dessas vezes dita, e repetida, eu quero ao menos agora dizer:
Não se esqueça de que amo você, de que rezo por você, de que dos meus olhos caem lágrimas de saudades por você, de que meu peito se enche de esperança por você. E que, sobretudo “nequeave” dissolva todo o qualquer olhar, qualquer palavra, qualquer gesto que eu possa ter te entregue e tenha sido contrário a essa frase tão feliz: NÃO SE ESQUEÇA DE QUE AMO VOCÊ.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

CORAÇÃO DE ESTUDANTE




Hoje fiquei muito feliz ao saber que os meninos da Escola Estadual Humberto Sanches em São Lourenço MG escolheram um texto meu para abrir sua página de estudos sobre Frei Santa Rita Durão, quem quiser conferir o endereço deles é:
http://santaritadurao123.blogspot.com.br/

Obrigada meus queridos estudantes e amigos!

Abraços carinhosos, Nívea.

Canto do Povo de Um Lugar



O que a humanidade significa para mim?
O que é a terra diante da grandeza do céu num horizonte e espaço infinitos?
Não posso e não quero contar e medir o tamanho que temos o tamanho que somos ou o tamanho da casa que nos abriga, talvez possa ser mesmo insignificante...
Sei que ocupamos, as gentes humanas, lugar inteiro no coração de Deus que nos quis, que com nossos pais nos gerou, que entregou-Se sobretudo pai, filho e espírito santo, tudo feito tudo por nós.
Não quero fincar bandeiras além do que posso e sou, mas sei que sou muito cara para o meu Senhor e pra outros humanos e animais, plantas e arquiteturas que comigo convivem ou que nunca me viram, mas por acaso leram minhas palavras, fruto do esforço da beleza e do trabalho lírico em mim, ou se comoveram com um simples sorriso meu ou num gesto para ninguém revelado, só para aquele, aberto como uma pequena, singela e colorida flor. Um gesto que me redime e me faz bela, que confunde o amor no próprio amor.
O homem é mais belo que a estrela da manhã e ainda assim eu quero a estrela da manhã.
O que significa a humanidade para mim? Uma estreiteza de estrutura sim, mas tão infinita em tudo quanto há, porque ama e pensa e é um, com Deus.

O NATAL NÃO PODE SER O MESMO



O Natal não pode ser o mesmo
Nívea Moraes Marques

O natal não pode ser o mesmo todo ano.
Todo ano a liturgia prepara o nascimento a morte e a ressurreição de Jesus, e se pensarmos tudo isso como um rito das horas passando, estaremos vivendo e cumprindo apenas um rito.
Mas Jesus está para nascer e essa verdade bela é casada com outra palavra cheia, que é a esperança. Os que creem esperam e não esperam esperando, esperam com esperança.
Esperança é uma palavra feminina que é mãe da palavra sonho.
Primeiro a gente tem de sonhar e então os passos seguintes caminham para a realização.
Esperar, esperança, sonhar, realização.
O que de bom se tornando concreto e a palavra do nosso Deus ficando justa a nossa pele e vamos nos humanizando mais um pouco, mais um pouco até enxergarmos com os olhos do céu.
Ver em cada morada do espírito santo, que somos nós, um pouco do que Deus quer realizar ainda aqui e porque não dizer, aqui e aqui, o Reino de Deus se cumprindo entre nós onde quer que estejamos. O cântico de eternidade nos espera para além do que possamos até compreender.
Este chão pede o que é belo, o que é puro, o que é sangue e o que é amor (dentro de tudo o que podemos sentir seja o amor e venha desse mesmo Deus – um dia apenas prestaremos conta do amor que nós temos e tivemos).
Amor para ferir o que é mal, o que é dolo, o que é sujo e feio, para ferir tudo o que é morte e agredir com carinho e paz isso que nos faz distantes da espera do menino que nasceu homem e morreu Deus e ressuscitou nos reconciliando homens imagem e semelhança de Deus.
Eu espero que a esperança em mim gere para Deus filhos do amor.

Esperança III



Esperança
Mário Quintana

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Esperança II



“Não deseje eu ansiosamente
ser salvo,
mas ter esperança
para conquistar pacientemente
a minha liberdade.”

Tagore

Esperança I



“Sou eu minha Mãe
a esperança somos nós
os teus filhos
partidos para uma fé que alimenta a vida”

Agostinho Neto

sábado, 8 de dezembro de 2012

VERÃO




O verão
Nívea Moraes Marques

No verão as pessoas estão mais postas ao sol. As noites são mais claras e curtas. As pessoas se despem e se cobrem apenas na medida de seus íntimos segredos. No verão as peles são douradas e as pessoas conversam mais, riem mais, parecem estar mais vivas. No verão quando tudo esquenta a não mais suportar a chuva lava e refresca todas as preocupações e pensamentos. O verão é o Brasil por excelência com peixes e limões, com sucos de maracujá e abacaxi com hortelã. No verão as pessoas estão mais vivas, mais terrosas, expostas ao mar. No verão o meu sangue ferve a qualquer temperatura e acalma a beijo que sussurra.