ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

sábado, 19 de maio de 2012

A PORTA



A porta
Nívea Moraes Marques

Por onde a porta
me abre através da porta?

A que caminhos me leva a porta,
atrás da porta?

O portão da minha casa
é todo trabalhado a bordados
de ferro
E o ferrolho que lhe tranca o mundo,
que é seio da minha família,
também é de ferro
só que desliza

A portinholha dos meus sonos
tem um campo vasto
pra abrir espaços para meus sonhos
Sou cavaleiro e tenho
pés com asas
Sou formiga que repousa
em sal
Sou açúcar que tem gosto
de chuva e nunca engorda
ou causa mal

Nas portas de cada rua
Há a rua e sua serventia
Para caminhar os pés e se encontrarem
Para ser o passeio das gentes e dos animais

Há ainda a porta (estreita) que tranca o sagrado na gente
Transborda de trás pra frente o fruto Divino
de árvore que nunca cresce, que nunca floresce
que é sempre um fruto da casa aberta
Resguardada e varrida
Lençóis para dias de festa

A porta que manejo no dia, não é a porta
de entrada da noite

Minha porta, minhas pálpebras
Enfim o sono
Que devagarinho
guarnece de cortinas vaporosas
em lugar
da porta, portão, portinholha, biombo
e tudo o mais que vou construindo
entre mim e Deus
entre mim e você
entre mim e tudo que é
mais, ou menos do que eu sou

(Apenas e apesar da porta,
preciso entrar!)

Nenhum comentário: