ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

sábado, 21 de abril de 2012

INSTRUMENTO



Instrumento
Nívea Moraes Marques

O instrumento em repouso é mudo. Mas ouve o barulho das mãos que o manuseiam, ouve o barulho do pés que o sustentam, ouve os movimentos e os sons outros que de dentro dele não nascem, e sim informam seu tempo de sonho, seu tempo em repouso, seu tempo de sono.
O instrumento é complementar ao seu executor, um existe sem o outro, embora juntos sejam capazes de sinfonias. O dono do instrumento não desdenha o instrumento, pois sabe que dele depende se quiser pôr em visíveis o que é invisível.
É importante que o instrumento guarde sempre o segredo da humildade no seu corpo passivo, passível de ser habitado e dedilhado por quem de direito. Contudo cada instrumento também sabe de que matéria sua matéria foi forjada e a alma delicada que envolve todo o corpo para que ele além de sons, tenha cor, tenha água, tenha forma e peso e vulto para servir.
Apesar de não ser o mais importante, cada instrumento é pedacinho de sertão, de selva, de coração, de peteca, de caneta, de papel, de pedal, de corda, de sopro, de chão, de luta, de lida, de vida que espia e esconde o céu na sua talhada natureza.
Quando o instrumento está exercendo seu mister fica tão tensionado que quase cala, mas é belo, quase tão belo quanto o é seu virtuose, é um pinho de madeira feminina, são metais de força viril.
Não me esqueço do que posso a pulso dos meus instrumentos, não me esqueço o que podem os meus instrumentos (mudos ou vibrando). Sei que têm cada qual precisão e serventia. Sei que valem pelo que valem, a música sem eles seria disseminada pelos pássaros, pelos ventos, pelas pedras rolando. Instrumento refina tudo isso e nos faz ver e ouvir o que é óbvio, o que Deus sempre quis dizer, através de um filtro (seu filtro) particularmente belo.

Nenhum comentário: