ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

terça-feira, 13 de março de 2012

NA ADVERSIDADE, O AMOR



NA ADVERSIDADE, O AMOR
Nívea Moraes Marques


“O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo protege, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece.” (Coríntios, 13)


Depois que você se cansa de ser humilhado, depois que você se cansa de ser injustiçado, depois que você perde todo o estímulo, depois que você percebe que todas as suas tarefas são em vão, depois que você é apontado por não ter suportado tanta injustiça e ter reagido ainda que infimamente e é crucificado por isso, é a hora de pedir a Deus que te ensine amar.

Às vezes amar quem ama a gente é um desafio ainda maior, mas amar nesse ambiente inóspito e agressivo, amar quem odeia a gente, ou pra quem a gente é uma pedra no caminho, ou pra quem a nossa presença é absolutamente indiferente ou desagradável é o que tem mais méritos diante de Deus.

A cada dia estou fazendo essa experiência e não posso dizer que aprendi. Estou tentando e pedindo, de respiração em respiração, Espírito Santo coloca amor no meu coração, mas sem que eu seja o “bobinho”, amar com inteligência (porque amor requer razão sim, mesmo sem razão aparentemente), mas sobretudo amar com o coração (como é difícil e maravilhoso amar com o coração).

Olhar pras pessoas e ver um filho de Deus, entrar num ambiente e sentir a presença de Deus. Tudo o que chove em mim, ainda que sejam lágrimas de desespero, tem de ser um orvalho bento a abençoar esses espaços, essas pessoas, todos os espaços, todas as pessoas.

Eu sinceramente ainda não sei como fazer para sentir esse amor, também não sinto o seu contrário: ódio, mas ainda sou magoada e rezo pro relógio caminhar adiantado para me livrar desse constrangimento. Sei que isso não é amor.

E o amor pode ser tudo e principalmente o registrado em Coríntios (certamente bula a ser seguida) mas nesse momento, pra mim é um caminho ainda não percorrido, estou à porta, bato e tenho medo de entrar. Esse esforço eu preciso, sair a caminhar eu preciso, porque meu Deus é amor e eu quero ser um com Ele.

Nenhum comentário: