ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

MELÃO, PAPELÃO, C....



Melão, papelão, c...
Nívea Moraes Marques



“O segredo só pedia
que brincassem todo dia,
a alegria era corda
pro brinquedo funcionar.”
gil veloso


Fiz um brinquedo novo
Um brinquedo-dia
Enchi de palavras
As suas frestas
E apertei as porcas
Com música de cordas
Fiz um brinquedo
Que pulsa
Que chora que pede que dorme e acorda
Mas nunca para
Meu brinquedo de menina e menino
Finge que entende as minhas ordens
As minhas broncas, os meus mulambos
Mas ele rola e grita e sorri
Quando e onde ele quer
Meu brinquedo tem casa de carne
E eriça os pelos no vento
Meu brinquedo poderia ser um cãozinho ou um periquito
Mas é tão junto comigo
Que só vivo se ele vive
E ele só vive dentro de mim
Meu brinquedo é ave e não voa
É relógio e não marca
É bomba e não pode explodir
Faço papel de embrulho para guardá-lo sempre novinho
Mas ele envelhece comigo
Teimamos cuidado um com o outro
E temos inquilinos comuns
Não há preço pro meu brinquedo
E não apresso o meu brinquedo
Ele é mais sábio que eu
Eu sou mais sabido que ele
Meu brinquedo bate incessantemente
As palmas pro meu sucesso
Em segredo lhe dou nomes
Próprios
Mas atende mesmo por melão papelão (coração...)

Nenhum comentário: