ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

domingo, 11 de dezembro de 2011

COMO DIZER O TEU NOME



Teu nome
Nívea Moraes Marques

“Queria fazer-te um poema
Mas perco-me no caminho”
Amália Rodrigues

Nas mechas das minhas tranças vou trançando teu nome a mel. Como um castanho mel era a cor original dos meus cabelos, que foram escurecendo junto com a noite.
Escrevo teu nome na palma da minha mão e acalento os sonos do teu sonho, como se fossem pequenas orações de um rosário de cores.
Meus pés gostariam de aprender os caminhos que os teus pés percorrem, para escolher um pequeno trecho e compartilhar contigo essa caminhada (enfim no mesmo sentido), silente ao teu lado, apenas ao teu lado; caminhar.
É tarde, noite alta.
Se eu pudesse te fazer um poema, começaria por teu nome. E aprenderia a te chamar com toda a delicadeza que já sei e a que preciso compreender. Teu nome como uma senha para um mundo que ainda não existe: eu juntinho d’ocê.

Nenhum comentário: