ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

domingo, 15 de maio de 2011

"MEU MELHOR AMIGO É O MEU AMOR"



Bendito
Nivea Moraes Marques


“Não trabalharão debalde,
nem gerarão filhos para a morte repentina;
porque serão uma estirpe de benditos de Javé,
eles e os seus rebentos com eles.”

Isaías, 65,22


Tenho um amigo oculto:
meu amor.

Às vezes Deus tem umas rusgas
comigo
por causa dele

A que ponto chega o ciúme de Deus?

Deus que é o exclusivo
se abate só de pressentir descuido, desproteção...

Há uma atenção de criatura para com a criatura,
inventada na inteligência de Deus, e que ele só pode provar
transversalmente

Tenho pedido a Deus
incessantemente, insensatamente,
conscientemente, piedosamente
que meu amigo venha
(machucada às tantas, minha humanidade)

Sei que o divisor não provém de Deus
no entanto, Ele parte o pão e dá graças
Ou dá graças e parte o pão

Temos e teremos, eu e meu amigo,
um tempo terrestre brevíssimo
para vivermos um no outro
Um tempo brevíssimo que Deus
consumará conosco,
embora sejamos eu e meu amigo
apenas os atores que enxergam
e desencadeiam as ações
(em Deus cochichamos tantos sentidos)

Ainda teremos então um tempo de eternidade
para exclusivamente adorar a presença única e final
de nosso Deus.
(cumprimento dos votos que se faz em cada tempo)

Precisamos deste tempo contável
para construirmos esse cântico de eternidade

Precisamos do que é breve para sabermos o incontável

Precisamos exceder em todos os poros a breve humanidade
que nos cabe, para tocar a face de Deus com respeito, com amor,
com a compreensão de todos os mistérios...

Para concretar o amor na estrutura dos ossos
Para bordar o amor no perecível da pele
Para acostumar o amor ao imperceptível da alma
Para experimentar o amor no corpo glorioso que há de vir a nós depois da eternidade

Os tempos não se cumprem ao nada
Os tempos são números perfeitos
Eu peço a Deus que meu amigo venha,
alastrando em mim a estirpe dos benditos.

Nenhum comentário: