ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

domingo, 1 de agosto de 2010

AMANTE DO VERBO

Amor Prometido
Nivea Moraes Marques

“Do lado de lá o amor prometido caía sobre mim como cai
a complacente delicadeza sobre a brutalidade dos dias”
Leda Guerra


Às vezes eu penso que é tolice minha
esperar o amor

O que esperar enquanto esperando?

A ilusão do grande amor
quase me levou a vida
ou me trancou num manicômio
para sempre

(Graças a Deus sobrevivi)

Às vezes eu penso que é tolice minha
não esperar o amor

A desilusão do amor
me deu um palco
me encheu de palavras
me fez um com vocês

Às vezes eu penso que vou envelhecer
demais enquanto espero
e aí vai ser ridículo demais
tantas palavras colecionadas à espera

Às vezes eu penso que se é função
do tempo passar
que ele passe
e eu continue

Porque o amor brinca comigo
e se ele se esconde tanto
ou trapaceia tanto
é pra que eu diga essas tantas
palavras

E viva amante do meu próprio alfabeto.

Nenhum comentário: