ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

quinta-feira, 3 de junho de 2010

SOBTUDO

Colcha de Areia
Nivea Moraes Marques


“Se eu apagasse a fina linha
do horizonte
será que o céu cairiano mar?
E as estrelas e a lua
começariam a navegar?”
Roseana Murray

Para cobrir-me com uma colcha bordada de areia e dormir sob um teto invisível, é porque trabalho incessantemente, tanto os dias quanto as noites.

Penhoro salários e futuros, penhoro o mapa da minha mão às ciganas e pago os seus olhos videntes para visionarem meu sorriso sem dentes.

Para comer o almoço que planejo é inútil dentes. Para dormir os sonhos que me acalmem, uns algodãozinhos azuis dentro dos ouvidos mocos.

Para abraçar o moço que me aguarda sob o sol ou sob a neve, dadas as paredes estéreis desse pequeno caso, confeitos dourados sob os casacos, constituindo corpos e lastros para o que nunca caberia em si.

Saber-nos abraçados e cobertos por tão bonita colcha, aí começaríamos o que sem fim nos espera, e esperou por tanto tempo:
notas de música cuja partitura é silêncio, lágrima e açúcar.

O milagre da vida não passa pela porta estreita de tijolos, minha colcha bordada de areia, dentro da casa que em mim passeia, é salvação para duas almas solitárias, sobtudo.

2 comentários:

doroti disse...

A arte manifestada é um dom do criador!Continue nos presenteando,pois vieste ao mundo para melhorá lo!Que bom que voce existe,parabéns e muito obrigada,um grande abraço e até sempre...

Nívea Moraes Marques disse...

Doroti, a escrita só é criada e recriada a partir dos leitores. Leitores sensíveis para compartilhar minha tarefa é um presente. Você é um presente para mim. Obrigada por ler e por comentar!