ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

domingo, 8 de março de 2009

FRUTA
Nívea Moraes Marques



“(...) E ao meu lado
Te fazes árabe, me faço israelita
E nos cobrimos de beijos
E de flores”
Hilda Hilst




Dentro da calada fruta, mora o seu desejo
e o meu.
Desejamos tantas e tão boas coisas
que não importa tanto o quanto iremos realizar
a realidade é apenas uma pequena dimensão do nosso beijo
que se distrai e se desdobra em várias modalidades de delicadeza

Dentro dessa fruta, que se abre aos céus, há espécies de lobos
que dormem, rugem e dormem
E há também pequenas bailarinas que dançam para platéias vazias.

À noite, eu sonho que sorrio todas as horas para você,
rabisco sóis em seu colo e invento salmos novos para o seu sono

Ocorre que é tempo de amadurecer a fruta
E não poderemos escolher as mãos que irão colhê-la
Nem os dentes que nela se vão cravar

Haverá sim uma memória,
que escorrerá líquida e colorida
garganta afora,
do seu conquistador.

sábado, 7 de março de 2009

QUILATE DE MEL
Nivea Moraes Marques


"(...) queima na boca um quilate de mel"
João Bosco



Meus pés caminham à força das ondas
Surgem desenhos de seus rastros como que
pintados à mão:
pequenos países cujas línguas sem origem
me ensinam que há ainda o que se visitar.

Quando e para onde seguirei, nunca terá a mesma importância
do quando e pra onde eu nunca saberia desde que provei,
em instâncias muito seguras,
o respeito aos meus próprios pés.

Nessas tardes, quase cheirando a maio
Repouso na chuva
Cantando e fazendo pequenas tranças no meu cabelo:
Há um rumo!
(mas o meu Senhor é dadivoso em revestir-me de outros personagens)

domingo, 1 de março de 2009

CÁLICE DE LICOR

Cheiro de Sangue
Nivea Moraes Marques


“A mulher e o toureiro
têm em comum o cheiro
de sangue no esmero da roupa”
Aldir Blanc


Bebo a rosa chá que prendes
Descuidada
Em teus cabelos

Respingam gotas líquidas
Da essência extinta
Que a rosa traz

Dentro do corpo da rosa
O corpo da mulher

O tempo murchará a ambas
e o segredo da essência extinta
só nos cabelos restarão traços,
como num cálice de licor.