ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

terça-feira, 26 de agosto de 2008

FLAMINGO

FLAMINGO
Nivea Moraes Marques


“Onde estavam os flamingos rosa,
dormindo o dia nos aquilinos bicos?
(...)
O incómodo da primavera dos homens,
sempre dispostos a perturbar a serenidade
dos belos mundos
que desconhece.”

Helder F. Raimundo



Essa estação que é o frio
está se prolongando
e me aborrece

Quando for embora
já terei um novo ano
e serei uma menina-velha.

Quanto tempo faz
que não notei
já não caber um simples beijo
no meu solo

minha seiva
desperta para grandes jornadas,
jorrando o sangue
das guerras

(nunca mais trarei o ruge nas faces
nem o corpo coberto por rosáceo açúcar:
Onde estavam os flamingos rosa
Quando resolvi doar meus bens em vida?)

Naturalmente,
as marcas de tantos instantes vividos
mais que denunciará
a minha imortalidade.

quarta-feira, 6 de agosto de 2008

MAÇÃS

Maçãs
Nivea Moraes Marques


“rouba-me as maçãs
do rosto”
Lorena Martins


Dentro de tuas mãos, colhidas as minhas maçãs do rosto.

Em silêncio, desfiguro-me para te doar um pedaço do que sou.

Como figura de Pablo, não me reconheço ao olhar-me no espelho.

Esta transfiguração abala minha língua, eu definho em silêncios seguidos de chuvas de letras, ou chuvas de letras seguidas de definhosos silêncios.

Dentro de tuas mãos minhas maçãs constroem asas e aeroplanos. Elas desejam um plano de fuga. Mas você as aperta com tanta e tão doce delicadeza, que o plano se aborta.

Meus olhos procuram essa face subjugada, mas só encontram paz.

Durmo parcialmente descarnada e acordo uma nova mulher.

(Dentro deste segredo mora um anjo, um anjo que se chama solidão.)