ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

quarta-feira, 16 de abril de 2008

CLARISSA

Clarissa
Nivea Moraes Marques


“Sou selvagem na selva do meu peito a chama que se chama coração.”
Geraldo Carneiro



Traduz na minha pele
os teus sorrisos
nas manhãs extintas
Sê em mim a extinção
dos animais
Retruca cada pernada
com balaios e tocas
Traduz na minha pele
a força que não quer exercer
Nas manhãs que virão
impede o sol do vir a ser
com as reprises dos beijos
e das línguas estrangeiras
que arduamente aprendemos
só para a nossa saudação.

Sou selvagem na selva
dos meus pelos
Mas meu coração permanece
resfriado a temperaturas muito lúcidas
e calmamente se destrói e se refaz
à distância de tuas mãos

Ser bicho nessa selva
hoje em dia é muito mais caro
e exigiria de você mais do que todas as manhãs
Mas se não exigisse, se apenas pedisse
seria completamente intangível para
as algibeiras de um pobre poeta.

Nenhum comentário: