ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

domingo, 11 de novembro de 2007

FOSSE EU O TEU PAÍS

Fosse eu o teu país...
Nivea Moraes Marques

Nem imensa nem vasta
Sou o caminho perfeito de um frasco de perfume evaporando
Pura e verde e abandonando fronteiras
Nem frondosa nem ourivesaria
Nem só feita de céus azuis de abril
Mas estrelada, noite quente, manto de todos os teus estados
Fosse eu o teu país...
Milharina em tigela fumegante,
Sem colher, direto nos lábios: queimando, deixando exposta a carne viva da tua garganta
Não ousarias pousar na terra roxa ribeirinha
Teus pés nus, esses sim... atolados até!
Fosse eu o teu país...
Reabastecido estarias na dobrinha de minhas contradições.
Rasgando o meu sotaque português,
Te apertando em minha negra taça,
Nascerias de novo: herói sem nenhum caráter.
E se eu não te conduzisse a parte alguma?
Fosse eu o teu país...
Sempre estaríamos num futuro próspero,
Paixão que multiplica nossos corpos suados em estádios lotados
(Ninguém enxergaria nosso abraço mais colado, quando do grito de gol)
Fosse eu o teu país...
Pagaria as dívidas todas e assumiria compromissos e fingiria ser capaz da independência
Devotamente, acenderia velas... só porque é lindo o jantar em mesa assim iluminada!
Rezaria em romarias, aprenderia os cordéis, as vaquejadas, o boi-bumbá, fôlego no berrante e me acabaria, colombina em quarta-feira de cinzas sambando, ainda em pleno carnaval...
Fosse eu o teu país...
Era de luta que eu precisava...
Era de luta todo dia espada em punho, São Jorge em minhas sete luas...
Espada túrgida flor aberta, Espada embainhada coxa com coxa...
A nossa guerra era a mais tola era a mais torpe era a mais suicida...
Desativar a bomba suja a bomba rota a bomba solta...
Fosse eu o teu país...
Eu sabia era de amar amor de meretriz amor que cola amor que gruda e apavora
Quando longe, sentado choras... saudade... Dias em que as aves não gorjeiam...
Fosse eu o teu país...
Nunca mais ia querer morar em outro lugar...

Nenhum comentário: