ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

quinta-feira, 18 de outubro de 2007

A PERMUTA DOS SANTOS

Em ceres anoitece.
Nos píncaros ainda
Faz luz.
Sinto-me tão grande
Nesta hora solene
E vã
Que, assim como há deuses
Dos campos, das flores
Das searas
Agora eu quisera
Que um deus existisse
De mim.
Ricardo Reis - Fernando Pessoa
------------------------------------------------------------------
A permuta dos santos
Nivea Moraes Marques

Agora eu quisera que um Deus existisse em mim. E que tudo em mim refletisse as suas lições, que cada braço e cada perna se movesse em razão dessa única força motriz.
Agora eu quisera que um Deus existisse em mim, não para me tornar como Ele um Deus, não para acolher a sua face em mim. Quisera que um Deus existisse em mim apenas para confundir minha humanidade, que decrescente, não se confundiria tanto.
Se Deus quisesse existir em mim, agradeceria por minha face, por meus olhos, pela minha voz. Mais que um mensageiro, aceitaria seus cacoetes para me assemelhar em seus comandos a tudo quanto Ele quisesse e eu então quereria também.
Se Deus florescesse em mim, nunca os meus sorrisos seriam indignos, nem minha voz se exaltaria em vão. Teria tudo de meu, mas só existiria porque Ele existe em mim.
Quando Deus se comovesse, deixaria Ele chorar as minhas lágrimas, e assim eu sentiria o sabor (salgado) de sua misericórdia.
Gostaria que um Deus consentisse em mim a tarefa de levar adiante o Seu nome, a tarefa da santidade em tarefas muito mais que essa mesma: humana.
Se Deus revestisse as minhas mãos e tatuasse o meu coração noite e dia, ser Santo seria uma simples adesão de vontade. Mas Deus adormece, Deus envelhece, Deus adoece e precisa ainda mais e mais da minha voluntariedade, dos meus braços, das minhas pernas, das minhas mãos.
E se eu fosse forte o suficiente, experimentaria por dias a virtude desses santos que obtiveram êxitos em suas tarefas, transformando o que é corpo em unção.
E se eu fosse forte o suficiente, entre a miséria e a coragem, optaria pelas duas e santificaria os meus traços, na beleza santa de tantos santos e santas desconhecidos.

Nenhum comentário: