ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

sábado, 27 de outubro de 2007

ADVOCACIA X POESIA

ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO
Nivea Moraes Marques



Tenho medo do trabalho prazeroso.

O dia tem todas as horas e em seus rituais é preciso entender o sossego, o descanso, a ausência de tarefas para a reconciliação do sono, do amor, da criatividade e dos dias novos que precisam nascer.

Meu trabalho me incomoda um tanto e agradeço por não suporta-lo à exaustão. Traço limites rígidos para os seus domínios e não arredo pé da teimosia de abandoná-lo nesse limite, como se deixasse do outro lado da rua um filho que não vou alimentar nunca mais.

Me concentro na tarefa de observar o meu rosto, de observar as pessoas em suas tarefas, de construir meus porões, de pintar amarelinhas no chão do meu quarto.

Cultivo bonecas e as batizo com bolo, padre e convidados. Nomeio os meus seres com a devida formalidade e no dia seguinte ninguém nota o tamanho do ônibus espacial que tomei.

Astronauta de espaços interiores, cada astro é cadente e não importa o quanto necessite de sua luz, nada é mais precioso que a minha necessidade de policromia, de vários detalhes, de mudança de temperatura.

Não é bom que o trabalho seja tão prazeroso quanto o prazer de se dedicar ao que mesmo não sendo essencial, é imprescindível.

Nenhum comentário: