ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

terça-feira, 19 de junho de 2018

Uma terça-feira comum

"(...) - Sim, nas reticências talvez haja lugar pra mim... (...)"
Moacyr Scliar

Numa terça-feira comum
um casal de idade muito mais longe no tempo do que nós
dança pra mim
(como se fossem adolescentes)
Teu amigo que te chamavas: Criatura!
Fez sua viagem pelas estrelas
até o colo do Pai

Tanta vida escorrendo nessa terça-feira
(no tempo, pelo tempo)
e eu escondida no bolso do seu paletó
botão cerzido no coração a ponto de cruz
Florzinha roxa
que te acompanha aonde quer que vás
(criatura da criatura! [em reticências...])

Nívea Moraes Marques
-------------------------------------------------------

Hoje o tempo bateu no meu coração como quem avisa... que existe! mas Deus é maior que tudo!!!

quinta-feira, 14 de junho de 2018

Amor, redescoberto em mim



Amor, redescoberto em mim
Nívea Moraes Marques
“Desde sempre, amor, redescoberto em mim.”
Hilda Hilst

Meu Amor me põe pra dormir toda noite
Com o silêncio de sua voz tão presente
Com beijos e promessas
E um delicado sorriso
Que navega as distâncias
Sabemos que compreendo em meu peito
Todas as reticências todas as inseguranças
Todas as sombras que talvez pusessem tudo a perder
Decidido, meu Amor confia em mim
Confia nesse amor, que desde sempre ele faz nascer e renascer em mim
E eu ainda que dócil e obediente,
Revisto minha pele de todo tecido de que é feito o meu coração
Para que ele, mesmo ao segurar as minhas mãos
Saiba à temperatura do meu sangue.

quinta-feira, 7 de junho de 2018

THE JOSHUA TREE

The Joshua tree
Nívea Moraes Marques


para ser um ramo dessa
                                  árvore que é Jesus
meu Deus, meu amigo, meu esposo espiritual
tenho que te entregar meu coração, meus lábios os meus cabelos
para que a raiz de todo o mal
seque
e fique só essa folha verde ainda
que é teu olhar doce, tua risada de menino
Quando souberes que é chegada a hora
todas as preocupações desaparecerão
porque os que te amam
concordes te amarão
e decidirão amadurecer
só pra te deixar mais um pouco feliz

terça-feira, 29 de maio de 2018

OS MANDOS DO AMOR


                                                                     para o meu amor Beto
Tuas mãos recortam nas minhas
uma praia calma
um mar sem espuma
uma areia macia
Tua boca na minha
tece uma fibra de
pétala
que se abre em festa
e nos une feito o nó
que é o coração da flor
Meus olhos dentro dos teus
tem um marrom profundo
como se fosse um lago
que chora as tuas lágrimas
Meu coração na tua voz
vibra em cada sílaba
em cada nota
como se fosse um pulso
sem resistência alguma
que sabe e conhece
os mandos do amor.

Nívea Moraes Marques

quinta-feira, 24 de maio de 2018

Um livro que se abre

Um livro que se abre
Para Antonio Alberto Andrade


Cada passo me faz caminhar
em volta do teu coração
para chegar no centro do açúcar
Raro
De cana
Doce
Que há,
Ainda que residual:
um resto dos rebanhos de Israel.
No centro de teu coração
terei de acordar do medo
da insegurança
e das nossas presenças de gaze
Quando eu te tocar
Quando me tocares
outra verdade será revelada
Aquela para a qual não há
remédios, nem limites
nem meias verdades
Como um livro que se abre
e dentro se guarda uma rosa
para secar e se perpetuar
Viva

No dia  22 de maio de 2018 Nossa Senhora pelas mãozinhas de Santa Rita me entregou essa rosa.

sábado, 27 de maio de 2017

LÍRIOS - ALMA GÊMEA À MÚSICA LÍRIOS DE JOSÉ NELSON SANTIAGO



LÍRIOS

cada fração de segundo que suas mircroasas batem contra esse estofo de vidro que é o mundo, uma claraboia que boia feito a lua, feia lua, feito luta, como se de toda luta restasse o teu sorriso, não, resta o meu, solidão, solidão de asas nuas, nuas naus varando os mares de volta, de volta da Europa para altanticamente me constituir vizinha, nas urbes que ainda nas janelas se estendem ca-ri-nho-samente um bocal de água e açúcar pra mim continuar a sobreviver. e sobreviver é um crescente espaço terrestre e sideralmente falando um espaço para cultivar um coraçãozinho que é teu, olha é teu, para plantares pomares de dengos, ruas de dengos, para deitares e dormires calmos sonos e acordares com humores de amigo e quereres dançar para mim... nesses dias haverá mimimimi e ssississis use saias como escoceses, homens guerreiros e plante bolas,  bolas de fogo, ao vento, violentas bolas guerreiras, bolas, corra, corra, corra, corra comigo uma jarda, um km ou dois, depois molhemos nossos pés no rio, rio sim! nesse rio que corta, lacera nossa cidade pé, pés, pés, és pés, és pés para mim, um caminho de flores lírios brancos que colho  e recolhes feito fosse capim,  capim de maio, capim, capim de maio, capim, capim fino, retalho para grinalda e e e buquê. Não, não brinque com tão doce sentimento, antes e depois antes e agora antes e primeiro, o abrigue dento de si, como um pequeno sentido, que exige silêncios, mais profundos, mais profundos, feito o silencioso brumar do mar. Pouse tuas mãos nos meus lábios, que simples, dizem teu nome. Dizem o teu nome. Diga o meu nome.

Nívea Moraes Marques  - Para ser lido ouvindo a música Lírios de José Nelson Santiago (participação de Júlio Henriques)

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Canção Cecília Meireles

Canção


Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
- depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar


Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.


O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio...


Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.


Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.