ESTRELA DAS ÁGUAS BLOG DE LITERATURA INFANTIL

sábado, 27 de maio de 2017

LÍRIOS - ALMA GÊMEA À MÚSICA LÍRIOS DE JOSÉ NELSON SANTIAGO



LÍRIOS

cada fração de segundo que suas mircroasas batem contra esse estofo de vidro que é o mundo, uma claraboia que boia feito a lua, feia lua, feito luta, como se de toda luta restasse o teu sorriso, não, resta o meu, solidão, solidão de asas nuas, nuas naus varando os mares de volta, de volta da Europa para altanticamente me constituir vizinha, nas urbes que ainda nas janelas se estendem ca-ri-nho-samente um bocal de água e açúcar pra mim continuar a sobreviver. e sobreviver é um crescente espaço terrestre e sideralmente falando um espaço para cultivar um coraçãozinho que é teu, olha é teu, para plantares pomares de dengos, ruas de dengos, para deitares e dormires calmos sonos e acordares com humores de amigo e quereres dançar para mim... nesses dias haverá mimimimi e ssississis use saias como escoceses, homens guerreiros e plante bolas,  bolas de fogo, ao vento, violentas bolas guerreiras, bolas, corra, corra, corra, corra comigo uma jarda, um km ou dois, depois molhemos nossos pés no rio, rio sim! nesse rio que corta, lacera nossa cidade pé, pés, pés, és pés, és pés para mim, um caminho de flores lírios brancos que colho  e recolhes feito fosse capim,  capim de maio, capim, capim de maio, capim, capim fino, retalho para grinalda e e e buquê. Não, não brinque com tão doce sentimento, antes e depois antes e agora antes e primeiro, o abrigue dento de si, como um pequeno sentido, que exige silêncios, mais profundos, mais profundos, feito o silencioso brumar do mar. Pouse tuas mãos nos meus lábios, que simples, dizem teu nome. Dizem o teu nome. Diga o meu nome.

Nívea Moraes Marques  - Para ser lido ouvindo a música Lírios de José Nelson Santiago (participação de Júlio Henriques)

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Canção Cecília Meireles

Canção


Pus o meu sonho num navio
e o navio em cima do mar;
- depois, abri o mar com as mãos,
para o meu sonho naufragar


Minhas mãos ainda estão molhadas
do azul das ondas entreabertas,
e a cor que escorre de meus dedos
colore as areias desertas.


O vento vem vindo de longe,
a noite se curva de frio;
debaixo da água vai morrendo
meu sonho, dentro de um navio...


Chorarei quanto for preciso,
para fazer com que o mar cresça,
e o meu navio chegue ao fundo
e o meu sonho desapareça.


Depois, tudo estará perfeito;
praia lisa, águas ordenadas,
meus olhos secos como pedras
e as minhas duas mãos quebradas.

sábado, 20 de maio de 2017

Academia de Artes, Ciência e Letras Do Brasil

No dia 10 de junho de 2017 às 14h00, na Câmara Municipal de Volta Redonda Nívea Moraes Marques vai tomar posse na ACADEMIA DE ARTES CIENCIAS E LETRAS DO BRASIL. A convite do grande Maestro Caraura que também é  coreógrafo e folclorista escritor e pernambucano arretado! Estou muito feliz com a distinção! Muito obrigada Maestro e a todos da Academia. E a Deus, que é nosso garantidor em todas as horas! E a todos que até aqui tem mantido acesa em mim a chama da alegria do conhecimento. Que no fundo é o mundo das palavras.

segunda-feira, 15 de maio de 2017

Meu Deus que a vida não se resuma ao que eu escreva ou leia. A vida é muito maior.
Que eu não eulouqueça. Que eu seja feliz. Que eu possa realizar minhas vocações sem sacrificar o meu cérebro a minha essência e os meus principios e o meu coração. Meu corpo espiritual e físico. Que eu saiba partilhar aquilo que Deus me entregar na vida, sem destruir o meu irmão.

terça-feira, 18 de abril de 2017

EMBRACE



Abraça o meu abraço até a pele se extinguir da pele
Como que uma viva coisa se apresente como fosse alma, mas fosse antes
Ou fosse a chave ou fosse nada
Me abrace antes
E desse abraço abrace mesmo somente o abraço
E nesse hiato e nesse instante os nossos braços os nossos corpos
Se descubram tolos se descubram sós se descubram tantos
E se tornem dois e se tornem mais e sejamos apenas mais abraços então
Abraça o meu abraço até a pele retrucar na pele aquela dose de carinho estreita
Que não pode calar nenhum desejo e nem pode falar com impropriedades
Onde não pode caber uma vogal que não é tua onde não consinto nenhuma consoante do que não é meu
E o nosso é tão imenso que no abraço diminui e no teu peito já é tão próximo ao meu peito que somos juntos
Somos somente um mesmo abraço
Abraça-me abraço-te abracemo-nos
Para que no fingido sentimento da poeta, a luz desse incrédulo sentimento que é o viver
Seja tão puro e meigo
Que partir desse abraço seja tudo que juntos já não poderemos mais partir, senão que inteiros.

Nívea Moraes Marques 

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Apenas mais uma de amor (para minha avó Nice)

A vida visita, revisita. A vida vive revive até que ela feche ciclos e um dia se entregue inteira ao chão para que o Pai a acolha em suas mãos em seu Sagrado Coração.

Como é bom para mim trabalhar as terras e as gentes do Sagrado Coração e nesse trabalho de suor e carinho de fé e esperança eu deixo também que o Pai construa em mim algo daquilo que Ele quer, e que é só dEle.

Às vezes a vida nos dá presentes sutis no meio a mares revoltos. Um olhar profundo que diz tanto quanto possível. Toda a extensão de silêncios necessários para equilíbrios mais frutíferos no futuro e o presente do presente.

O passado constrói algumas pontes pro futuro, basta acreditar no inseguro da segurança de uma palavra bendita: meu próprio nome.

Como é confortante ouvir nosso próprio nome dito por nossos companheiros de jornada, parece que aprendemos mais sobre quem somos, resgatamos nossa própria  identidade e entendemos que mesmo que o tempo nos transgrida com quilinhos a mais, somos permeáveis ainda àquela voz e podemos aprender mais um pouco sobre ternura, amizade, carinho, cuidado, segurança, amabilidade.

Como um sorriso muda tudo, uma face tão agreste e distante se faz amiga e querida: dá vontade de ficar e botar o papo em dia, prolongar o motivo da tristeza transformada num grito de alegria.

Mas entender um pouco do fim é crer também em Deus, que Deus pode abreviar, curar, salvar, tirar um bem de um mal, confortar, fazer adormecer a nossa cotovia como um belo passarinho, sem o trescalar da dor desfigurante. Eu creio que o meu Senhor é um Deus de amor e não nos arrastará sobre a penúria, mas acalmará o mar com seu gesto companheiro irmão soberano. Nunca irá nos abandonar.

Eu tenho vontade de chorar agora. Mas precisamos sorrir, a vida é mais bela se sorrirmos, ele ficou belo sorrindo... Tão belo...

Às vezes é preciso perder para saber ganhar, ás vezes o tempo é nosso amigo, às vezes um amigo é mais valioso que um irmão.

Que alegria ter amigos e pelas mãos amigas receber no meu coração esse sorriso, que eu não esqueci.
Nívea Moraes Marques

domingo, 18 de dezembro de 2016

TAPEI MEUS OUVIDOS, VENDEI MEUS OLHOS E MESMO ASSIM NASCEU JESUS!



Tapei meus ouvidos
Vendei meus olhos
Meu mundo interior faliu
E o que é o meu mundo interior
Diante desse longínquo mas verdadeiro milagre?
Que nasce cresce morre e renasce
Mesmo diante de meus olhos vendados e de meus ouvidos
tapados?
Se fosse uma flor
Seria apenas uma flor
Mas é Jesus
Mas é um menino
Mas é um homem e toda a nossa sã humanidade
Mas é um Deus
É o meu Deus
É o Deus de Israel
É o Deus humilde e humilhado
É aquele que se fez e que se faz uno em três pessoas
Para me abraçar e me lembrar que eu serei para sempre
O seu sonho que se fez carne que habitou aqui na concha de tuas mãos
Para amar certo ou errado, mas para amar como nunca antes se amou
Porque meu coração é único inconfundível e eterno.
Nívea Moraes Marques